top of page
  • Foto do escritorHeloisa Rocha

Princípios do Desenho Universal

Estudante de Design cria looks divertidos, confortáveis e que podem ser usados por diversos tipos de corpos.


Em 2021, a estudante de Design, Simone Marinho, conheceu os princípios do Desenho Universal - conceito que propõe a criação de espaços, serviços e produtos que possam ser usados por todos(as) e na sua máxima extensão possível - e se apaixonou. Desde então, ela se dedica a estudar (e aplicar) tal proposta de design em peças infantis, já que conhece algumas mães de crianças com deficiência.


Encostada em um muro de cimento, Simone Marinho sorri mostrandos os dentes. Na imagem, ela está de lado e com um braço apoiado no muro e os dedos da outra mão repousados sobre o mesmo muro. O muro é baixo, ou seja, a altura dele vai até o busto de Simone e o fundo da imagem está borrada, porém é possível ver o entardecer da rua de uma cidada repleta de casas. Simone usa óculos de grau e uma blusa laranja sem mangas e com decote em "v". Ela é uma mulher gorda com vitiligo nas mãos e nos braços e possui cabelos curtos, grisalhos e ondulados.
Simone Marinho (Foto: Suan Medeiros)

Durante o curso realizado no Senac, Simone Marinho elaborou um projeto que unia os dois objetos de estudo, ou seja, a moda infantil com os princípios do Desenho Universal. Dessa iniciativa, dois looks elaborados pela estudante pernambucana foram selecionados na collab Moda Inclusiva & Casa de Criadores.


Diferentemente da proposta inicial, as criações de Simone Marinho atendem mulheres que se alimentam por meio de uma sonda de gastrostomia (GTT) e que, também, tenham mobilidade reduzida. Entretanto, a participante deixa claro que suas peças podem ser usadas por toda e qualquer pessoa, independente da deficiência que possua.


O primeiro look é composto por uma blusa com zíper destacável nos ombros e, na frente, um falso bolso que esconde uma abertura para a passagem da sonda e, também, uma calça com zíper nas laterais, facilitando o ato de vestir (ou despir) da peça. Além disso, o elástico da cintura é regulável e conta com detalhes em velcro para garantir a autonomia do indivíduo.


A segunda criação é o conjunto de uma blusa com um short. A parte de cima conta com abotoamento nas mangas e na parte da frente, facilitando tanto o ato de vestir quanto a passagem da sonda. Já a segunda peça possui cintura com elástico regulável e abotoamento entre as pernas, que contribui na troca da fralda e/ou na ida ao banheiro.


Simone Marinho explica que a estampa escolhida para os looks é divertida e vibrante. E, nos dois casos, ela diz que o tecido escolhido foi o tricoline e os aviamentos utilizados foram elástico regulável, zíper destacável, botões de pressão, argolas plásticas e velcro.


Depois da realização do desfile inclusivo na Casa de Criadores, a estudante de Design diz que espera que suas criações contribuam na construção de uma sociedade mais igualitária e que, também, através do seu trabalho, possa dar continuidade às suas pesquisas com o objetivo de mostrar que a moda e todos os corpos são políticos.


Me coloco como um "corpo deslocado" porque, aos 47 anos, sou universitária e tenho vitiligo e por isso, a sociedade me cobra de não pertencer a este espaço (moda) ou, já que faço questão, que me disfarce com maquiagem e tintura. [...] A sociedade é quem precisa mudar para nos acolher e não eu me adaptar.









Posts recentes

Ver tudo

T.D.A.H.

Comments


bottom of page